sábado, agosto 12, 2017

*AO MEU PAI

  


Ao Meu Pai -

............. / .\. \......A-Aqui saudades guardadas
........... / . . \ ..\ ...O-O tempo nunca apagou
......... / . . . `\ ..\...M-Memória que se projetou
........ |. . . . . |. ..|..E-Em cada pedaço, adubadas
......... \ . . . ./ . ./..U-Uma raiz firmada que dura
........... `=(\ /.=....P-Pai, em  momentos de amor
............. `-;`.-'.....A-Ainda conserva em verdor
................ || _.-'..I-Imagem que tempo não cura
............. ,_|| \_,/..S-Sentado na velha calçada
........ , .... \|| .' ....A-A tarde com o sol findo
...... |\ |\ ,. ||/ ......U-Um olhar que se vestindo
....,.\` | /|.,|Y\, ....D-Da árdua labuta alçada
.....'-...'-._..\||/ ....A-Aonde a paz e a pureza
......... >_.-`Y| .....D-Davam ao corpo morada
.............. ,_|| ......E-E como flor que perfuma
................ \||.......S-Serve de canto e ternura
................. || ......S-Sim, pai em Deus a pousada

Sonia Nogueira


quinta-feira, julho 06, 2017

*MEU DESERTO MEU CHÃO



Meu Deserto, Meu Chão.

Passei as primaveras sem colher
As flores esmaecidas murcharam
Quando as olhei num entardecer
Não mais sorriram, oh, amarelaram.

Olhei o espelho, o deserto na mira
Pegadas firmes, sonho ventureiro
Como enganar sem marcas curupira
A esperança com o fito primeiro

Revirei páginas folheei o tempo
Horas regando os rijos segundos
Em cada despertar em passatempo

A máquina não carecia de conserto
Não havia no cofre capital, fundos
Apenas a canção aspirando acerto.

Nas teclas tristes da rude mensagem
Desviei o piano em pleno concerto
Da inadequação de sons miragens.

Escrava do porvir tracei rabiscos
A mão ingrata descoloriu a tela
Dispersa na emoção e tons ariscos
Perdida a direção à emoção duela.

Mesmo que a tinta roube o tinteiro
Na cor descolorida e na alma nua
A vida caminha no sonho arteiro.

Posso colher agora é só querer
Em cada alvorecer de olhar veleiro
Barca e vontade rumam ao estaleiro

Passei as primaveras sem colher.
***

Selecionada nos cinco primeiros colocados
na VII coletânea Século XXI 2017 - PoeArt.
organizador Jean Carlos

quinta-feira, maio 18, 2017

*ONTEM


Tela minha - meu sertão


*Ontem

Eu sonhei,
Mas sorri,
E revi
Meu luar
Do sertão
Das noites
Em açoites
Do frio,
Sem brio,
Do homem
Pescando,
Do peixe
Gostoso,
Saboroso,
Que comi.

Eu vejo
No sonho,
Componho,
Revejo,
Não nego
Saudade
Ficou...

Pudesse
Voltar
Ao sertão
Com muita
Emoção
Coração
Feliz
Sem dores
Com flores
-Pra quem?
Ofertar
No lugar,
Não sei,
Nunca vi.

Eu vejo
No sonho,
Componho,
Revejo,
Não nego
Saudade
Ficou...

Da mãe
Que se foi,
Que partiu,
Sem adeus.
Só restou:
Lembrança,
Cobrança,
Angústia,
Vontade
De ter
Mãe assim:
Bondosa
Sem fim
Olhando
Pra mim.

Eu vejo
No sonho,
Componho,
Revejo,
Não nego
Saudade
Ficou...

Saudade?
Revive,
Persiste,
Insiste,
Sem força
Eu vivi.


sábado, março 11, 2017

*DIA INTERNACIONAL DA MULHER



*Dia Internacional da Mulher
            08 de março 

D - Diva é sempre teu nome
I-   Infinitamente Mulher
A - Amor que faz aquiescer.

I-  Imagem nunca esquecida
N - Nas horas que o dia rompe
T - Tamanho é teu poder
E - Embalas, nos teus braços
R - Riso envolto de lágrimas
N - Nada detém teu amor
A - Aconchegando o filho
C - Criança carente na dor
I -  Imola-se em teu regaço
O-  Orando ao Criador
N-  Não deixe nunca Senhor
A -  A vida romper os laços
L -  Livra-me desse embaraço.

D - Dom da vida, gera vida
A - Aqui no planeta terra

M - Mas onde você estiver
U - Única, em força materna
L - Literalmente és feminina
H - Hoje parecendo eterna
E - É você sublime mulher

R - Rochedo é a tua sina.

Sonia Nogueira

domingo, fevereiro 19, 2017

*0LHOS INFANTIS




*Olhos Infantis 


Ao ver-te assim tão triste e solitária,
de olhar sombrio inda que haja sol,
vi na tua imagem descalça, sem sandália,
buscando a luz ofusca de um farol.

A tristeza rondava cabisbaixa
na hora que a luz do sol dormia,
teus olhos castanhos em tom de queixa,
rezava com o ângelus a Ave Maria.

Pobre criança que veio sem pedir
será da vida musa  sem orquestra,
e da agonia silêncio que liberta.

O mudo é bom, mas cria com maldade,
alerta na defesa e guarda a lealdade,
nos olhos infantis  mira o porvir.

Sonia Nogueira

quarta-feira, julho 06, 2016

ORAÇÃO DE JESUS



Tela minha

 *Oração de Jesus

Meu Deus pai, e Senhor da humanidade
Criador do céu, vegetação,  terra  e mar,
Dai-me sabedoria e minha voz brade
Aos cantos da terra para ensinar o verbo amar.


Que as minhas ovelhas nunca se percam
Por caminhos entre inseguros espinhos
A voz do meu comando siga imune
Das más ações que as movem por caminhos

Tortuosos, liberdade sem controle,
 Maldade, desrespeito ao próximo, ali
Partilhando o mesmo sol, e  ar daqui.

Dá-nos coragem, fé em Ti,  paciência,
Para que o mundo na pereça assim,
De joelhos rogamos por clemência.

Sonia Nogueira

*PASÁRGADA



*Pasárgada
Vou-me embora pra Pasárgada
“Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amiga do rei”
Posso entrar na sala vip, 
Escrever todas as letras

Da forma que eu criei,

Escolher amigos sinceros

Sem desconfiança, eu sei.

“Vou-me embora pra Pasárgada”
Quem é amiga do rei
Tem os palcos abertos,
Pisa em tapete vermelho,
Desfila no carro aberto,
Não aplaude sem motivo,
Usa a voz sem hora e vez.
Lá sou rainha sem rei,
Poso abrir todas as portas,
Não há muro, nem grade,
Ser honesta sem ter lei,
Recitar os meus poemas,
Caminhar ao por do sol,
Amar da forma que sei.
“Vou-me embora pra Pasárgada”
Lá são todos iguais,
Não precisa ter um banco,
Nem palácios, nem chefões,
Bastam amigos verdadeiros,
Ter sorriso, abraço, eu sei,
Só quem é amiga do rei.

 Sonia Nogueira

sábado, junho 04, 2016

*DIA DOS NAMORADOS



Tela de Sonia Nogueira


*Dia dos Namorados
12 de junho

Hoje te venero mais que nunca,
Embalde teu sorriso foi embora,
O azul permaneça na aurora,
Sem secar o rio que inunda.

Hoje? Há, hoje é riso desbravando,
Ultrapassando pontes até ti,
De tanto te querer eu até ri,
Dos sonhos, e corria navegando...

Na busca da palavra, e no poema,
Criei para esta data corriqueira,
A palavra sutil e verdadeira,

Que as horas escondem em surdina,
No querer oculto, olhar menina,
Amo-te na evidência do teorema.

Feliz dia a todos os namorados


Sonia Nogueira