segunda-feira, janeiro 04, 2021

*ATRAVESSAMOS 2020



 *Atravessamos 2020
 
Chegamos em 2021 com esperança
As dores continuam, a luta registra
A força que emana vontade e pujança
Para venceremos a catástrofe finita.
 
Há sempre confiança esperando luz
Na abertura da janela uma fresta
O sol pela sua igualdade nos induz
A olhar em cada clarão uma sesta.
 
Oh, abraço de que necessitamos
Do toque roçando a pele carente
Do olhar oferendo guarida, estamos
Do aperto de mão tão comovente.
 
Mas chegaremos lá, Deus que é amor
Nos brindará com sua força e poder
É só acreditar, não seja desamor
A fé é a força maior do seu querer.
 
Os amores verdadeiros sejam firmes
Aos pequenos amores reforço diário
Aos mal-amados, não decline, reafirme
A procura da paz, limpe o armário.
 
Quatro dias é só o início do novo ano
Com caminhos entre curvas perigosas
Escolhamos o melhor ponto meridiano
Para uma rotação com linhas luminosas.
 
Feliz 2021 

Sonia Nogueira

sábado, julho 11, 2020

 

 Quando a Chuva Parar 
 
A terra úmida acolhe a semente
Espera a flor brotar, frutificar
Sorrisos fartos e sorridentes
Mãos se apertarem para brindar
 
A vida, em sufoco passageiro
Portas se abrirem em comunhão
O vento continuar seu roteiro
O sol acolher a todos sem furacão.
 
Não vai demorar, tudo tem começo
Meio e fim, nessa vida de incertezas
Coração em esperança tem apreço
Pelos seres que lutam em defesa
 
Da vida, presente de Deus, criador
Basta ter fé e devoção velada
Segurar as rédeas do agressor
O tal Colvid 19, na vencível jornada
 
O momento requer oração e paz
Mente sã, não deixar cair o amor
Aquietar esse momento fugaz
Com as mãos postas ao pai Redentor


Sonia Nogueira 


segunda-feira, março 09, 2020

*DIA INTERNACIONAL DA MULHER





No dia 7 de março, na Academia Feminina de Letras do Ceará,
 AFELCE, sob a presidência da escritora Clara Leda, comemoramos o
 Dia Internacional da Mulher. Tivemos a palestra da acadêmica 
Nice Arruda, sobre superação,em seguida sarau poético,
 encerrando com coquetel.

*Eu Mulher

Estou aqui, não sei para que vim
Nem sei para onde ainda caminhar
Só sei que aqui cheguei e por fim
Mas nunca acabei de aqui chegar

Às vezes eu sou vazio do nada
Outras, emoção a procura de mim
E vou seguindo nessa jornada
Levando pedaços, sou carmim

Sei apenas que não parei no espaço
Muitos momentos bons me abraçam
Os bancos do saber não foi cansaço
Ergui a taça das palavras que traçam

A busca das mulheres em direções  
Diversas, ao seu contentamento
E juntas abrimos valas e furacões
Nas profissões fincamos cimento

Apoio tivemos da sociedade, família
Dos filhos, maridos, amores, parentes
Igualdade nem sempre, será vigília
Estaremos unidas e corpos presentes

Feliz dia da MULHER com louvor
Que a paz nos una na dor ou no amor  

Sonia Nogueira





domingo, dezembro 08, 2019

*TROVAS NATALINAS




*Trovas Natalinas

Mais um ano está findando
a vida correu apressada
a cidade aflita olhando 
esperança iluminada

Jesus menino no berço
quieto olhando o passado
dois mil anos não esqueço
o momento ali aclamado

a mãe, registra a história
humilde, a palha quentinha
vida e sagrada vitória
animais vigia a santinha

por fim o menino lembra
ei, hoje é meu aniversario
não fuja desta contenda
de luta, luzes, calvário

renovemos a esperança
no perdão dos teus pecados
criem uma nova aliança
dei-te na terra os espaços

unindo em fraternidade
amigos país e irmãos
honra a família, a bondade
cantemos, demos as mãos.

Sonia Nogueira

Recitei na comemoração Natalina da
 UBT, União Brasileira de Trovadores


*DIA DO VOLUNTÁRIO



Poema sobre o Dia do Voluntario na Sociedade 
de Assistência aos cegos


*Dia do Voluntário 
05 de dezembro

Que hora de encanto é essa
Em saudar os voluntários aqui
Ofertar um sorriso e sem presa
Abraçar o projeto no porvir

Esperanças nascem nos dias
Ao receber em farta comunhão
A grata tarefa que nos guia
Em ajudar nosso distinto irmão

Quero externar sincero pensar
Por essa instituição benfeitora
Na labuta diária, ao projetar
Suas ideias e força construtora

Em cada devir um tijolinho
Que eleva eficiência nesse SAC
Passos vão seguindo mansinho
Pela condução, firmeza e lacre

Muitos trabalham por essa família
Luzirene ordena a gravação
Citar nomes é tarefa em maestria
Para Andreia com raça e devoção

Mais um ano essa casa consagrada
Pelas mãos e mentes que os guiam
Educadores desprendem a jornada
Na direção Lizélia, os conduzem

Feliz dia a todos os voluntários

Sonia Nogueira




domingo, novembro 03, 2019

*AVENTURA DA VIDA




A Ventura da Vida 

Era o paraíso seu canto escuro,
O liquido vermelho ali fluía,
O corpo vergava na tez, obscuro,
Labirinto sem portas, só poesia.

O canto é suave, ó águas tranquilas!
A música tocando noite e dia
Um tique taque rosna cachoeiras,
E no embalo da vida a melodia.

No chão o fluído avisa sua chegada,
O olhar embaça, a mente confabula,
Oh, miragem, não sei, qual a cilada?

Impacto e emoção, que luz tardia!
O véu da escuridão rasga e rotula,
O grito vence a vida que inicia.

Sonia Nogueira

sábado, julho 13, 2019

*O QUE NADA CUSTA


 


O que Nada Custa 


A luz que se recolhe sonolenta,
O equilíbrio do tempo pernoitando,
Alvorada, o silêncio sem tormenta,
Som que sai livre do eco solfejando.

O bando de andorinhas revoando,
O despertar do sono num sorriso,
O sonho na penumbra professando,
Se ainda existe Céu ou paraíso.

O abraço que oferta noutro abraço,
A lágrima derramada, a saudade,
Ombro que colhe, abriga no antebraço.

Nada custa o valor do teu sorriso,
As palavras  que em deleite e amizade,
Leio-te sob o olhar calmo, conciso.

Sonia Nogueira

Do Livro- Nas Entrelinhas
Sonetos meus



quinta-feira, julho 04, 2019

*O INFINITO


No livro: Silêncio que Fala 
tela minha

 O Infinito


O grito ecoou na hora primeira
Surgiu a vida parecendo infinito
Sabendo da finitude, ira obreira
Tremi vendo da natureza o rito.

Infinito é o sonhar na esperança
Parecendo magia contra o tempo,
Perpetuando o gene como herança
Espécime vorace em contratempo.

Deitei na imensidão, contei estrelas,
Tantas parecendo pingo em chuva,
Não sei se infinitas, porém singelas,
A mente desfigurada ficou turva.

O amor tema imortal, creio, restrito,
Ovação dos amores nasce e perece,
Rápido como gemido de tão finito
Fenece, renasce perdoa como prece.

Eu vi no infinito teu culto olhar
Em tanta profundidade me perdi,
Espelho transbordante ao mirar
Deus, que grandioso, nunca esqueci.

Classificada nas três primeiras colocadas
No Concurso Poesias Encantadas, 2010, Mogi
 Guaçu SP.

Honra ao mérito
Academia Machadense de Letras RJ